A minha Vocação


salesianas-aminhavocacao

Testemunho Vocacional

“Queres oferecer-Te a Deus”?

Foi a pergunta que me acompanhou na preparação mais imediata dos meus votos perpétuos. Comecei-a oficialmente no meu coração no dia 13 de maio, em que na Cova da Iria pude celebrar com milhares de pessoas (e a honrosa presença do Papa Francisco) o Centenário das Aparições de Nossa Senhora aos Pastorinhos. Senti-me desde aquela eucaristia protegida pelos novos santos Francisco e Jacinta e por isso deixei-me interpelar pela pergunta que lhes havia sido feita pela Mãe do Céu. Comecei desde aí a entender a celebração dos votos perpétuos como a minha resposta a esta mesma pergunta!

“Sim, quero, por toda a vida” é a resposta que o ritual da profissão perpétua nos convida a dar por quatro vezes durante a celebração. Procurei preparar esta resposta na oração, na leitura, no aprofundamento carismático e no acompanhamento que me foi concedido neste tempo. Tratou-se de um tempo de graça com momentos muito significativos como foi, por exemplo, o 2.º mês do 2.ª noviciado onde pude redescobrir os nossos fundadores de uma forma experiencial e muito rezada. A preparação da cerimónia do dia 7 foi também um tempo muito importante para mim, pois ao ir envolvendo diferentes pessoas no acontecimento e preparando os vários momentos da cerimónia fui-me adentrando no mistério e na grandiosidade do chamamento de Deus e da graça que Ele nos concede na resposta que vamos dando.

O dia da profissão perpétua foi preparado com bons-dias para as comunidades educativas, com uma proposta de Meditação do Terço e um pequeno vídeo publicado nas redes sociais. Tivemos ainda um encontro vocacional com crianças e jovens da paróquia de Ferreiras no dia 30 de setembro e no dia 01 de outubro passei pelas três paróquias vizinhas para dar a conhecer o meu percurso vocacional e convidar os paroquianos a participar na celebração. Foram dias muito intensos e cheios de partilha e escuta; um tempo em que revi muitos amigos, paroquianos e familiares.

No dia 5 de outubro tive a alegria de fazer retiro com a minha comunidade que muito me ajudou a “recentrar” o espírito e a iniciar uma preparação mais “silenciosa” e meditada da minha entrega. Ao meditar o texto das Bodas de Canã sentia-me convidada a entregar-me Àquele que é o verdadeiro Esposo da Humanidade e que espera apenas que lhe confiemos todo nosso ser para que seja Ele a fazer o milagre de amor que é a nossa resposta!

Continuei este retiro na manhã do dia 7 de outubro no Colégio do Alto em Faro, onde no silêncio da casa pude rezar e meditar preparando-me assim para a cerimónia da tarde.

É deveras difícil expressar a profunda alegria que vivi durante a celebração. Sinto que todas rejubilámos naquele dia, mesmo as que por vários motivos, tiveram de ficar em casa.

Possa o Senhor conceder-nos a graça de uma resposta correspondente àquela alegria. Com a ajuda de Maria a Ele nos confiamos. Assim seja.

Ir. Linda Vieira